Modalidade Olímpica

O Boxe é uma das modalidades mais ilustres e históricas nos Jogos Olímpicos. Os homens têm combatido de forma desportiva desde 5000 a.C. no Médio Oriente, enquanto na Grécia antiga nos Jogos Olímpicos da Antiguidade era um dos eventos principais. Embora o Boxe seja um desporto extremamente agressivo, este também coloca uma grande ênfase na técnica, concentração e resistência física. Os melhores pugilistas da Grécia antiga – como Melagomas – eram na verdade mais famosos pelo seu ‘atravmatistos’ (ou incólume) estilo de boxe Os primeiros registos da prática de boxe são no Egito em 3000 d.C., e rapidamente tornouse num dos pilares dos Jogos Olímpicos da antiguidade na Grécia desde a Olimpíada 23 de 688 d.C., e o seu primeiro campeão foi Onomastos Smyrnaios. O primeiro registo de um combate de boxe foi em Inglaterra em 1681, mas só em 1743, é que Jack Broughton desenvolveu o seu primeiro conjunto de regras. Só em 1867, é que começou boxe moderno como o conhecemos. O boxe moderno foi introduzido como modalidade olímpica em St. Louis em 1904, com sete categorias de peso. Em 1912, a competição boxe foi cancelada para os jogos de Estocolmo, devido a antiga lei sueca. No entanto, a seguir à I guerra mundial, foi retoma para os Jogos Olímpicos de Antuérpia, 1920. Provavelmente o mais famoso de todos os boxistas era Cassius Marcellus Clay, que ganhou o ouro em Roma em 1960 e mais tarde passou a tornar-se, talvez, o melhor boxista de pesos pesados profissional de todos os tempos sob o nome de Muhammad Ali. Em Portugal, o primeiro combate remonta a 1909 e ainda só existe registo de uma participação nos Jogos Olímpicos. João Miguel, na categoria de -48 Kg fez a sua estreia nos Jogos Olímpicos de 1980 em Moscovo. Atleta natural de Almada, conhecido por “paquito”, terminou a participação nos oitavos-de-final. No Boxe, os pugilistas lutam num ringue elevado com um piso de lona em borracha, com 6,1 m por 6,1 m. Os lados são marcados por quatro linhas de cordas. Existem dois cantos – azuis e vermelhos – para cada adversário, para se sentar a meio de uma ronda. Os pugilistas vestem uma roupa que combinada com a cor do seu canto. Os pugilistas são pesados no dia da abertura da competição e todos os dias de competição para se certificar que não estão mais pesados do que o máximo permitido. Os assaltos são registados por cinco juízes, que atribuem pontos quando percebem que houve contato, ou seja, que tenha ocorrido um soco. Os pugilistas só estão autorizados a usar as luvas para tocarem no adversário, não sendo permitido usar os cotovelos ou a cabeça. Só podem tocar no adversário acima da cintura e não pode tocar nos rins ou atrás da cabeça. O árbitro pode advertir o pugilista para estas faltas, e três advertências levam a uma desqualificação. Os assaltos duram quatro rounds de dois minutos cada com um intervalo de um minuto entre eles. No final, o pugilista com o maior número de pontos é o vencedor, também podem ser considerados vencedores através de um “Knockout”. Os árbitros podem pôr fim ao assalto em qualquer momento se sentirem que a saúde dos atletas está em risco, enquanto o treinador pode ‘atirar a toalha ao chão’ e terminar o assalto. Os assaltos também podem terminar se a diferença de pontuação entre dois pugilistas exceder os 15 pontos. Os pugilistas, para se qualificarem para os Jogos Olímpicos, devem ter pelo menos 17 anos e não mais que 34.»

www.000webhost.com